A Perfect Circle – Mer de Noms

Cinco pessoas juntaram-se para formar um círculo, uma espécie de símbolo da eternidade, onde princípio e fim se unem através da música. Deste conceito nasceu Mer de Noms, o álbum de estreia dos norte-americanos A Perfect Circle, lançado em 2000 com o selo Virgin Records.

A combinação criativa de Billy Howerdel (ex-Nine Inch Nails e Smashing Pumpkins), Maynard James Keenan (Tool), Josh Freese, Troy Van Leeuwen (ex-Failure) e Paz Lenchantin resultou numa banda que se sobrepôs a qualquer rótulo de projecto secundário, de junção ocasional de músicos consagrados numa iniciativa esporádica e efémera ou de uma versão reduzida das bandas anteriores e presentes dos seus membros.

Billy Howerdel construiu um esqueleto que haveria de resultar em Mer de Noms. Um processo longo, gradual e dinâmico cuja intenção, inicialmente, apontava para uma banda sonora para um suposto filme. Maynard James Keenan encarregou-se de dar palavras às atmosferas sonoras e os restantes elementos complementaram-nas com a sua própria arte.

Na concepção das letras para este álbum, Keenan procurou as suas emoções mais primitivas. Dedicou-se às relações, às diferentes etapas de perdão e cura. Algumas das músicas são mais agressivas e acusadoras, outras são delicadas composições acústicas, tranquilas e terrivelmente trágicas. E este álbum, embora seja feminino, não é por isso inocente. Aliás, essa é a génese da sua sedutora perversão, das suas texturas de veludo, carne e brumas.

“Magdalena” é uma conhecida figura religiosa que abandona a sua vida de prostituição e pecado quando se depara com o perdão divino: “I’d sell my soul/ My self esteem/ One dollar at a time… for one taste of you my black Madonna.“. “Judith” é também uma mulher religiosa, santa e mártir, conformada com o sofrimento e a solidão.”Your lord, your christ/ Took all you had and left you this way/ Still you prayed, never straying/ Never taste of the fruit/ You never thought to question why“. Aqui é abordado o lado mais negro e controverso da religião, o reconforto que apenas chega com o adormentar da vontade. O vídeo deste tema foi dirigido por David Fincher, conhecido realizador de filmes como “Fight Club” ou “Se7en”.

Com “3 Libras”, uma das músicas mais fortes do álbum, Maynard expõe a frustração de quem se sente rodeado por parasitas, por aqueles que simplesmente não vêem a essência, o conteúdo, o que realmente tem significado. “You don’t see me at all”. Nem uma viagem até ao óbvio poderá alterar isso. Daí o desalento: “Apparently nothing at all…”.

Este é um álbum de diferentes ambientes, de diferentes elementos, aparentemente contraditórios, que proporcionam uma viagem única pelo rock alternativo como até então não se tinha feito. Guitarras acústicas que embalam e acalmam, violinos e teclados que aprofundam o espectro sónico e seduzem o ouvinte, encontram-se intercalados com riffs pesados, ritmos de bateria por vezes agressivos ou incómodos (como em “Rose”, relembrando as influências industriais de Nine Inch Nails), por vezes tão suaves que se dispersam na ambiência de cada música.

Impossível não falar no desempenho vocal de Maynard James Keenan: possuidor de uma capacidade única de produzir hipnotizantes linhas vocais, refrões que se cravam na mente e de sussurros que não se deixam de ouvir. Complemente-se o álbum com uma faixa instrumental com guitarras acústicas, piano, violinos e percussão em “Renholdër”, sexo anal em “Thinking Of You”, o rock coeso de “The Hollow” e “Thomas”, as incríveis “Orestes” e “Breña” num registo mais calmo e resguardado, mas emocionalmente avassalador, e xilofones em “Over”. Ao todo, 12 músicas e cada uma delas contém uma história rica em significado e pormenores, uma caixa de Pandora por abrir.

9/10 | Carla Reis e Gonçalo Sítima

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 14, Janeiro, 2005.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: