Team Sleep – Team Sleep

teamsleep-teamsleepDepois de algumas hesitações e alguns acidentes de percurso foi editado o primeiro álbum dos Team Sleep, um projecto de Chino Moreno, vocalista dos conhecidos Deftones. Em 2002 tinham sido espalhadas pela Internet versões não editadas de várias faixas dos Team Sleep servindo de apresentação e primeiro contacto com a música da banda. Três anos depois, algumas dessas faixas permaneceram e foram incluídas no álbum homónimo, mas outras, como “Kool-Aid Party” que contava com a participação de Mike Patton, ficaram na gaveta do quinteto americano.

Produto de um longo processo de criação onde Chino Moreno e o guitarrista Todd Wilkinson tiveram especial predominância, os Team Sleep criam um ambiente relaxado, calmo, mas por vezes electrizante que se propaga por todos os sentidos. Algures entre o trip hop e o pop rock electrónico, algumas das faixas deste álbum de estreiam relembram as músicas mais calmas dos Deftones.

Moreno é conhecido não só pela sua voz única, mas pela forma como escreve, criando um misto entre romance e decadência, desespero e felicidade. Este é, acima de tudo, um álbum de inspiração feminina, tanto na sua beleza como na sua amargura.

“Ataraxia” abre o álbum a um ritmo energético, com alguns elementos tecno, e com um ambiente pesado, fazendo-se notar, desde logo, o estilo inconfundível de cantar de Moreno.

Segue-se “Ever (Foreign Flag)”, o primeiro single do álbum, que é uma música bastante calma com guitarras acústicas discretas, piano e uma batida tipicamente trip hop. “Your Skull Is Red” e “Blvd. Knights” levam-nos até White Pony, trazendo alguma nostalgia para quem conhece o percurso dos Deftones e duas das composições de guitarras mais ruidosas e um ritmo mais punjante.

O álbum prossegue sempre ao mesmo ritmo, entre composições melódicas e outras mais tensas, até “Delorian”, uma espécie de interlúdio instrumental composto somente por guitarras. “Tomb of Liegia” apresenta-nos a voz feminina de Mary Timony numa música de cinco minutos de simplicidade harmoniosa, loops e riscos de vinil.

“Elizabeth” sobressai das restantes músicas como uma música tipicamente indie rock de guitarras acústicas e sequências vocais que se impregnam no ouvido e nos põem a cantar imediatamente. Em “Live From The Stage” encontramos um início ambiental em crescendo que culmina em três minutos de musculado rock e palavras indecifráveis para se ouvir em alto volume. O álbum termina num tom sereno e quase distanciado com “Paris Arm” e “11-11”.

Os Team Sleep não são uma extensão mais acessível e tranquila dos Deftones, são um movimento autónomo que se reflecte em todo o álbum. A melodia é um elemento preponderante e o amargo tom de Chino Moreno e os loops sujos de Dj Crook dão uma crua realidade à música dos Team Sleep. Um álbum para se ouvir com um coração cheio de sangue e cicatrizes.

7/10 | Gonçalo Sítima

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 3, Julho, 2005.

 
%d bloggers like this: