The Arcade Fire – Funeral

thearcadefire-funeralOs anos que antecederam o lançamento do álbum de estreia dos Arcade Fire foram marcados pela morte de vários familiares da banda. Assim surgiu o título Funeral e um disco que traz o reconhecimento colectivo da dor provocada pela perda de alguém. Apesar de toda a dor que encontramos neste disco temos também vestígios de renovação e maturidade. Até nos seus momentos mais obscuros, Funeral traz-nos um certo positivismo. Uma espécie de grito de sobrevivência face a toda a morte que nos rodeia e uma óbvia valorização dos laços familiares e comunitários.

Funeral foi gravado durante um inverno rigoroso no Quebec. Esse ambiente gelado pode ser sentido em qualquer um dos temas. E o facto de a banda ter emigrado dos Estados Unidos para o Canadá acrescentou-lhe um sentimento de alienação.

Quinze músicos contribuíram para a gravação de Funeral. Aqui podemos ouvir diferentes instrumentos, como acordeão, xilofone, violino, harpa e uma vasta secção de cordas que resultam num som único e imprevisível. Nunca se sabe o que espreita ao virar da esquina. O início dá-se com “Neighborhood #1 (Tunnels)” e ao som de um piano é-nos contada uma triste história de amor, com o peso da ausência, num mundo reduzido a cinzas.

De destacar o single “Neighborhood #3 (Power Out)” que combina uma batida pop, que fica no ouvido, com guitarras fortes e “Crown of Love”, uma expressão de culpa que explode em crescendo, num melodrama de cordas e desespero psicológico. Aqui somos embalados ao ritmo de uma valsa que acaba em catarse e inesperadamente em tom de dança.

Na sombra de uma vizinhança que reúne todos os seus pesadelos, fantasias, sonhos e o peso da realidade chega-nos uma mistura de melodias pop, com art-rock e uma voz versátil. O resultado final é uma complexa sonoridade indie-rock. Um disco obrigatório. Uma história de perda. Mas também repleta de amor e redenção.

9/10 | Carla Reis

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 4, Agosto, 2005.

 
%d bloggers like this: