Wintersleep – Wintersleep

Os Wintersleep surgem como um projecto paralelo à banda Kary, com a qual partilham dois membros: Paul Murphy na guitarra e voz e Tim D’eon em guitarra também. O baterista Loel Campbell e o baixista Jud Haynes completam o quarteto canadiano que tem neste lançamento homónimo o seu álbum de estreia. Este é sem dúvida um álbum de rock – a atitude está presente e alguns elementos musicais caracterizadores também, mesmo sendo um álbum de guitarras acústicas. Doze faixas que se desenrolam pelas cordas de Tim acompanhadas pela voz de Paul trazendo à memória nomes como Dave Mathews Band ou Pearl Jam.

O álbum começa com “Sore” de forma simples e descomprometida apresentando plenamente como serão os próximos 44 minutos de música. “Snowstorm” transporta-nos para uma noite de Inverno, calma e que pede uma bebida que nos é oferecida pelas palavras de Paul. Uma composição simples e pequena que exige repetições constantes pelo seu cativante estado de espírito, algo entre o acolhedor e a desilusão. Muitas das faixas de Wintersleep apresentam-se ideais para ouvir no escuro, com lume e silêncio. Ao som dos Wintersleep torna-se fácil sermos transportados para o passado através de uma nostalgia musical reconfortante e de uma voz, só por si, embaladora. A estrutura das músicas não se assemelha às composições pop-rock comandadas pelo refrão, mas este é um álbum de melodias fortes que possibilitam o cantarolar simultâneo, principalmente no alcatrão, numa longa viagem.

“Caliber” destaca-se das restantes pelo seu compasso mais acelerado e pelo conteúdo crítico e inconformado. Esta pode ser considerada uma música de intervenção sócio-urbana face ao papel imposto sobre um homem – uma música de atitude “dylanesca”. O fim é-nos dado com “Motion”, uma faixa épica e minimalista, com um ritmo lento e emocionalmente sofrida – poder-se-à mesmo comparar o sentimento exalado com aquele que os Neurosis se tornaram peritos em trabalhar.

Em suma, este é um álbum que vive das guitarras acústicas e dos acordes íntimos que os Wintersleep emanam. Fácil de ouvir e agradável de explorar ao pormenor. Com letras que fogem a clichés e que não se afastam em demasia da serenidade musical que acompanham. O álbum tem momentos de alguma monotonia e previsibilidade que não conseguem, porém, manchar o bom trabalho feito pelos Wintersleep.

7/10 | Gonçalo Sítima

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 21, Agosto, 2005.

 
%d bloggers like this: