Sigur Rós

É uma das bandas mais interessantes da última década.

Sigur Rós é o nome da banda formada por Jónsi Birgisson, Georg Olm e Ágúst em 1994, no mesmo dia do nascimento da irmã de Jónsi, de seu nome Sigurrós (qualquer coisa como Rosa da Vitória).

Foi este trio que editou Von (Esperança), o álbum de estreia, em 1997, e despertou a atenção da Europa para a Islândia, país de onde é originária a cantora Björk, e para uma sonoridade que, mais do que estranha, era nova.

Um ano depois, Kjartan Sveinsson juntou-se à banda, que passou assim a quarteto. Este foi também o ano do lançamento de Von Brigði, álbum que “reciclou” alguns dos temas de Von.
Em 1999, lançaram o marcante Ágætis Byrjun – um bom início – que é actualmente uma das referências do pós-rock. Este álbum levou, aquando do seu lançamento na Europa e nos Estados Unidos da América, a comparações com bandas como os Radiohead e os Mogwai. Foi também após as gravações de Ágætis Byrjun que Ágúst abandonou a banda para enveredar por uma carreira no âmbito do design gráfico, tendo sido substituído por Orri Páll DýRason na bateria, completando a formação que hoje conhecemos à banda islandesa.

Com imenso êxito internacional, os Sigur Rós geriram a sua situação, tendo feito a sua primeira digressão pelos Estados Unidos em 2001 com bastantes concertos esgotados.

2002 foi, definitivamente, o ano da consagração. Com a nova formação, os Sigur Rós ofereceram-nos, três anos depois do seu bem sucedido Ágætis Byrjun, um álbum sem título – a que se convencionou chamar de ( ) – com oito faixas sem título cantadas por Jónsi Birgisson – que, já agora, é cego de um olho – numa língua imaginária (o hopelandic) e um artwork minimalista. Com o intuito de deixar a cada um dos ouvintes a tarefa de completar e de dar significado ao álbum, a banda construiu um trabalho conceptual capaz de elevar ainda mais a fasquia para os Sigur Rós e, apesar de não ter tido tanto sucesso como o álbum anterior, foi mais do que suficiente para agarrar definitivamente as pessoas à música hipnótica e belíssima do quarteto islandês.

O ano seguinte marcou a venda nos espectáculos da digressão europeia (que passou por Portugal) e americana dos Sigur Rós da banda sonora do documentário Hlemmur, gravada em 2002, com temas ambientais a fazer lembrar Von. Esta banda sonora ainda não foi editada.

Em 2004, os Sigur Rós editaram Ba Ba Ti Ki Di Do, EP composto por três temas (cujos nomes formam o título do álbum) que fazem a ponte lógica entre ( ) e o recente Takk…, editado já este ano pela EMI. O novo álbum confirma-os como um dos nomes mais importantes da música internacional.

Filipe Marques

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 2, Setembro, 2005.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: