Depeche Mode – Os b-sides

Quem acredita que os b-sides não são mais do que músicas de má qualidade que as bandas não têm coragem de incluir nos álbuns, surpreender-se-ia ao ouvir os dos Depeche Mode. Genericamente, tendo em conta a longa carreira da banda, há de tudo um pouco, quer em termos de estilo, quer em termos de qualidade. Qualitativamente podemos agrupá-los em:

Muito Bons

Neste nível estão “Any Second Now”, “Oberkorn (It’s a Small Town)”, “Fly on the Windscreen”, “St Jarna”, “Moonlight Sonata”, “Memphisto”, “Sibeling”, “Sea of Sin”, “My Joy”, “Death’s Door”, “Painkiller”, “Slowblow”, “Headstar”, “Surrender” e ”Zenstation”. Entre estas músicas destacam-se “Any Second Now”, posteriormente incluída em Speak & Spell, “Fly on the Windscreen”, posteriormente incluída em Black Celebration e “Death’s Door”, retirada da banda sonora do filme Until the End of the World de Wim Wenders. Saliente-se também o facto de estas músicas serem na sua maioria instrumentais. O melhor b-side da banda é “Sea of Sin”, que é bastante melhor do que a maior parte das músicas de Violator, pelo que é de estranhar não ter sido nele integrado.

Bons

Engloba “(Set Me Free) Remotivate Me”, “But Not Tonight”, “Christmas Island”, “Pleasure, Little Treasure”, “Route 66”, “Agent Orange”, “Dangerous”, “Kaleid”, “Happiest Girl” e “Dirt”. “But Not Tonight” teve a honra de ter tido direito a videoclip, uma vez que os americanos acharam que era muito melhor que o “lado a”, neste caso “Stripped”, tendo até sido escolhida para a banda sonora de um filme. “Happiest Girl” foi feita a pensar no álbum Violator mas a banda, felizmente, optou por tirá-la do alinhamento, realizando-a como b-side de “World in My Eyes”.

Razoáveis

Aplica-se unicamente a b-sides do início dos anos 80, nomeadamente “Ice Machine”, “Shout!”, “Now This Is Fun”, “Work Hard”, “Fools” e “In Your Memory”, na maioria escritos por Vince Clarke ou por Alan Wilder.

Maus

Apenas dois b-sides podem ser considerados insatisfatórios: “The Great Outdoors!”, um instrumental escrito por Martin Gore e por Alan para o single “Get the Balance Right!”, claramente o pior dos dois; e “Flexible”, escrito por Martin para o single “Shake the Disease”.

João Oliveira

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 26, Outubro, 2005.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: