God Is An Astronaut – All is Violent, All is Bright

Paisagens de som, anjos perdidos que esvoaçam sem rumo, imagens abstractas de cores frenéticas. É isto que o som dos God is an Astronaut nos lembra.  Ambientais e instrumentais, a sua música forma imagens na nossa cabeça, faz-nos viajar e deixa-nos calmos e serenos.

Oriundos de Dublin, na Irlanda, este super trio faz da sua música um fio condutor que nos leva a ambientes épicos e que nos deslumbra com o que lá encontramos. O disco abre com “Fragile” – um tema que apela à condição humana, homem-animal cujo vídeo (integrado com o álbum) nos mostra experiências feitas com animais, cru e directo como deve ser, tocante no mínimo. À medida que as canções vão saindo do leitor, ficamos embrenhados no mar de guitarras perdidas e angustiantes, de sintetizadores que formam uma estrada sem rumo e de uma bateria que encaixa na perfeição dos momentos melodramáticos, ora doces, ora violentos que nos tomam de assalto. De realçar os temas “Fire Flies And Empty Skies” e “Suicide By Star”, onde se pode realmente perceber todo o sentido da banda, que aponta aos céus a sua música, que nos toca e abre as portas do imaginário, que cria aromas musicais e sabores de uma terra perdida e desconhecida, que nos assola e nos faz viajar onde queremos.

Pós-rock? Possivelmente. Belo? Sem dúvida. Um disco assolador, paisagístico e celestial; uma obra brilhante e perfeita para ser ouvida num fim de tarde de Outono.

9/10 | Sérgio Lemos

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 5, Novembro, 2005.

 
%d bloggers like this: