Willy Mason – Where The Humans Eat

A estreia discográfica de Willy Mason é uma boa surpresa. Saído da recente fornada de singers-songwriters da nova folk, este britânico conta apenas com 19 anos de idade. Mason é dono de uma voz que, sem ser extraordinária, é cativante o suficiente para nos viciar.

O tema-título “Where The Humans Eat” foi o escolhido para single de avanço do primeiro trabalho deste músico. É uma canção sem refrões forçados e que apresenta da melhor forma o conteúdo do disco.

Mas este rapazinho de aspecto inconsciente não se fica pela boa voz que possui. Willy Mason é o autor de todas as letras do álbum, e também ajudou na sua produção. O «eu» e o «tu» são omnipresentes nos pensamentos passados para o papel ou para o ecrã do computador de Mason. Os temas decalcados por este músico giram em torno de experiências pessoais passadas, não muito bem sucedidas. “Sold My Soul” é um dos exemplos dessa incongruência sentimental que percorre o álbum.

As guitarras são um acompanhamento precioso aos gritos silenciosos de Mason e o som da bateria faz-nos recuar aos anos 60 e 70, a bandas como os The Beatles ou os Credence Clearwater Revival.

“Letter # 1” é uma faixa que se demarca do resto do álbum, e em que Mason canta com uma voz distorcida e longínqua, como que a tentar penetrar na nossa alma.

Fixem este nome: Willy Mason. Tem 19 anos, é britânico e editou um registo excelente. Ao ouvirmos Where The Humans Eat esquecemo-nos de 2 aspectos: da idade do autor e de que este é o seu primeiro CD no mercado. Ele vai ser um dos expoentes da folk neste início de século. E nós estamos cá para o ouvir.

8/10 | Pedro Correia

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 13, Dezembro, 2005.

 
%d bloggers like this: