Placebo – Black Market Music

Depois de Without You I’m Nothing, os Placebo enfrentavam o possível cenário de se tornarem mais uma banda com um álbum muito bom e algumas músicas engraçadas.
É verdade que se perdeu alguma da energia de Without You I’m Nothing na passagem para Black Market Music, mas o terceiro álbum dos Placebo não pretendia ser uma sequela do antecessor.

Este é de facto um álbum diferente, e não há semelhanças assim tão óbvias com o segundo álbum da banda. O trio apostou numa face mais densa e mais lenta do que nos álbuns anteriores e tal está à vista imediatamente com “Taste In Men”. Mesmo “Days before you came” e “Haemoglobin”, que serão os expoentes de energia de Black Market Music ficam aquém do que se esperava depois de Without You I’m Nothing.

Black Market Music é ainda assim uma boa surpresa. O terceiro álbum dos Placebo é uma aposta na melancolia ainda mais do que em Without You I’m Nothing. E se no segundo álbum a aposta resultou, neste trabalho temos a prova de que é neste registo mais calmo e desprovido de picos de histeria que os Placebo resultam plenamente. Assim, não é difícil eleger “Passive Aggressive” como o melhor tema do álbum, pela simplicidade da palavra e pela melodia absolutamente bonita, embora triste.

Muito embora Black Market Music esteja além do simples bom, há pontos em que a dinâmica do registo cai abruptamente, sobretudo entre “Special K” e “Spite & Malice”, um tema absolutamente dispensável, o pior deste trabalho.

É assim que soa o terceiro álbum dos Placebo, às vezes aos altos e baixos, por culpa de um registo irregular como que para provar a flexibilidade da banda, que já havia sido provada no álbum anterior. O salto de “Haemoglobin” para “Narcoleptic” é mais uma prova dessa irregularidade, é um desmaio desnecessário no registo.

São temas como “Commercial For Levi”, “Blue American” e a fantástica “Passive Aggressive” que fazem passar um pouco despercebida a discreta deriva de identidade dos Placebo, quando deveria ser justamente aqui que o trio britânico se deveria afirmar.

Era preciso deixar Black Market Music fermentar um pouco, tendo em mente que este seria um caminho que o trio britânico por certo iria experimentar com mais cuidado e requinte.

7/10 | Susana Jaulino

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 4, Março, 2006.

 
%d bloggers like this: