Placebo – Sleeping With Ghosts

Depois de uma flutuação discreta em Black Market Music, o quarto álbum dos Placebo revelou que de facto a banda pretendia evoluit para um quadrante diferente dos registos anteriores. Apesar das diferenças que exitem, Sleeping With Ghosts é de facto muito melhor que o seu antecessor, muito mais determinado e com um registo mais regular.

“Bulletproof Cupid” abre o álbum de uma forma meio agressiva, por dois minutos instrumentais, preparativos para “English Summer Rain”, com alguns efeitos radiofónicos e uma guitarra diferente do habitual deixam no ar um vislumbre de mudança e evolução.

“This Picture” e “Sleeping With Ghosts” vão abrindo caminho para este registo que em pouco se assemelha ao de Black Market Music, onde faltava um ambiente mais sóbrio e constante. São estes temas iniciais que mais marcam a diferença e mais causam impacto.

“Something Rotten” é um interlúdio algo monótono, mas em audição regular não passa despercebido, por culpa de estar colocado entre as descargas mais ou menos energéticas de “The Bitter End” e “Plasticine”.

Os grandes momentos de Sleeping With Ghosts estão guardados a partir de “Special needs”. Este é apenas o primeiro de um conjunto de quatro temas que fazem o suporte do álbum. “I’ll Be Yours”, “Protect Me From What I Want” e “Centrefolds” completam o círculo. “Second Sight” quebra a genialidade deste círculo, mas não estraga o efeito. Um problema de encaixe que ficou por resolver.

Sleeping With Ghosts assenta num registo mais maduro e consciente repleto de um brilho e de um glamour por vezes enevoados, que não transparecem facilmente. É este o álbum da afirmação dos Placebo.

9/10 | Susana Jaulino

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 4, Março, 2006.

 
%d bloggers like this: