Morrissey – Vauxhall & I

Na altura em que Morrissey lançou o seu quarto registo de originais a solo, Vauxhall & I, vivia momentos muito conturbados. Ele era alvo de inúmeras perseguições por parte dos tablóides ingleses, que o acusavam de racista, devido à polémica letra do tema “The National Front Disco” do seu anterior álbum, Your Arsenal. Estas acusações não surgiam pela primeira vez, uma vez que já com os Smiths causou muita polémica devido ao tema “Panic”. As perseguições começaram a tornar-se cada vez mais constantes e angustiantes, o que levou ao ex-Smiths mudar de residência.

Após um disco muito virado para o rock’n’roll, Your Arsenal, Morrissey decidiu abrandar o ritmo, com um disco repleto de temas mais melodiosos, com as guitarras dos seus companheiros Alain Whyte e Boz Boorer a criarem algumas das melhores canções pop com que Morrissey nos presenciou. No entanto, as influências das sonoridades rockabilly exploradas anteriormente ainda se fazem sentir no tema “Billy Budd”.

A violência desde sempre foi uma temática que despertou o interesse de Morrissey, e, como ninguém, ele a explorou intrinsecamente nos dois temas de abertura, “Now My Hear is Full” e, principlamente, “Spring-Heeled Jim”, onde podemos Moz a contar a seguinte história: “Spring-heeled Jim slurs the words : ‘There’s no need to be so knowing, Take life at five times the Average speed, like I do’… Once always in for the kill, Now it’s too cold, and he feels too old”.

Em “Hold On to Your Friends” Morrissey dá-nos um dos seus temas mais emotivos, onde nos apercebemos claramente da grande importância da amizade, que se tem que saber dar para a receber de volta: “Why waste good time, fighting the people you like…oh, don’t feel so ashamed to have friends, but now you only call me, when you’re feeling depressed…you’re losing all your friends”.

O conhecido single “The More You Igonore Me, the Closer I Get” mostra-nos um Morrissey que tanto pode ser angustiado, mas muito cruel também (“When you sleep, I will creep into your thoughts like a bad dept, that you can’t pay, take the easy way and give in…and let me in…It’s war”).

O disco fecha com “Speedway”, um tema fabuloso tanto na componente lírica, como na musical. Com percussões e guitarras juntas a anunciarem o apocalipse, cada vez mais impiedosas à medida que o tema avança, enquanto Morrissey canta versos como “when you try to break my spirit, it won’t work, beacuse there’s nothing left to break”, para finalizar com uma das suas melhores frases “I’ve always been true to you, in my own strange way, I’ve always been true to you, in my own sick way”.

Vauxhall & I foi considerado pelo próprio Morrissey como o seu melhor disco de sempre. Não o é porque antes já tinha feito Viva Hate e mais tarde criou You Are the Quarry. Mas é emotivo, como se fosse o nosso diário pessoal e de mais ninguém.

9/10 | João Moço

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 31, Março, 2006.

 
%d bloggers like this: