KT Tunstall – Eye To The Telescope

Pop/rock. A definição é vaga mas ainda assim útil para compreender as paragens onde a música de KT Tunstall poderá encontrar ser encontrada. Eye To The Telescope (2005) é o álbum de estreia desta escocesa de aspecto rebelde que ganhou notoriedade no Reino Unido e se tornou internacionalmente reconhecida em pouco mais de um ano.

De um modo geral, KT Tunstall poderá ser definida pela sua relação com a guitarra acústica e pela oposição a outras vozes femininas do mesmo espaço musical. Não é tão pop ou soft quanto Dido nem tão interessante como Beth Orton. Mas também não é tão fácil e “confeccionada” como Michelle Branch ou qualquer uma destas raparigas que por aí aparecem de guitarra na mão. Há aqui uma genuinidade quase inquietante. Talvez esse seja um dos motivos para que Eye To The Telescope resulte tão bem.

Os singles “Black Horse And The Cherry Tree” e “Suddenly I See” são temas razoavelmente bons para apresentar o álbum mas não são muito representativos do material que por aqui se pode encontrar.

“Other Side of the World” é um daqueles temas fáceis de escutar e anuncia um pouco o espírito do álbum: produção limpinha, voz e respectivo desempenho muito interessantes, letra simples e um ambiente morno e nocturno. Eye To The Telescope é banda sonora de bar pequeno sem todos os lugares ocupados e com cervejas nas mesas: sobretudo em “Through the Dark”, o tema final.

Mas KT Tunstall é mais. É em “False Alarm”, por exemplo, parte do que de melhor os Coldplay fizeram em Parachutes (2000). É rock escondido no meio de “Under the Weather”.

Não é a salvação da música moderna que está em jogo aqui. Esse é outro campeonato. Este é o campeonato dos que jogam com o que sonham. É um olhar para o céu numa noite limpa de Verão e unir pontos.

É, resumindo, uma agradável surpresa.

7/10 | Filipe Marques

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 17, Abril, 2006.

 
%d bloggers like this: