Kanye West – Late Orchestration

Preconceito é coisa feia. E estúpida diga-se de passagem. E a música, como se sabe, está minada de preconceitos por todos os lados, ou vêm daquelas mentes quadradas que consideram que música sem guitarras e sem seguirem o modelo tradicional pop/rock não é música de qualidade, ou daqueles que proclamam que música com sucesso não tem qualidade, ou daqueles que não conseguem ouvir música para além do seu pequeno mundo onde se incluem meia dúzia de colectivos e o resto, segundo estes, é treta. Tretas são estes preconceitos.

Como ninguém Kanye West tem contribuído para desmantelar preconceitos, ideias preconcebidas que se tenham em relação ao hip hop. Nos últimos dois anos editou dois discos geniais, que já são um marco (The College Dropout de 2004 e Late Registration de 2005). O hip hop é apenas o ponto de partida para Kanye West. Este norte-americano tem um ego e uma genialidade grandes demais para o restringirem a categorias. Ele quer tocar os céus e consegue-o. Vai à sensual soul, ao r’n’b energético, pega em músicas perdidas no tempo e cria algo de novo e cativante, reveste-se de orquestrações. Actualmente é a figura mais importante do hip hop (e não só), sendo já também uma das figuras mais marcantes da pop.

Kanye West gosta de desafiar. Musicalmente já deu provas disso e continua a dar (como podemos ouvir neste registo ao vivo), e nas suas palavras também, pois quem se esquece das polémicas palavras aquando da tragédia provocada pelo Katrina: “George Bush doesn’t care about black people!”.

Mas estamos aqui é para falar de Late Orchestration, o novo disco (e também em DVD) de Kanye West, que regista o concerto que o músico deu em Setembro de 2005 no célebre estúdio dos Beatles, Abbey Road. Neste concerto Kanye West mais uma vez quis desafiar fronteiras musicais, e para o acompanharem no espectáculo contou com uma orquestra de 17 elementos, que fundem perfeitamente o mundo que conhecemos de Kanye West com o tom clássico da orquestra. Agora talvez alguns estejam a pensar: hip hop com aproximações à linguagem clássica?? Pois bem, quando ouvimos os verdadeiros mestres, não há limites para a sua criatividade.

Kanye West vai debitando todo a sua ironia corrosiva, a sua revolta política, com uma excelência e ritmo impressionantes. Os arranjos feitos pela orquestra para se poderem moldar às canções de Kanye West têm uma carga épica que toca aos céus e melhor conseguidos era impossível. O concerto contou com as participações especiais de John Legend, Lupe Fiasco (que se prepara para lançar o seu registo de estreia lá mais para o Verão, chamado Food & Liquor, e que vai ser uma bomba pelo que já se pôde ouvir) e GLC.

Para quem já conhece e gosta de Kanye West, este registo ao vivo é somente a cereja do bolo e só vem contribuir para continuarmos a fazer vénias à música do senhor. Para quem não conhece, é uma excelente porta de abertura.

8/10 | João Moço

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 29, Maio, 2006.

 
%d bloggers like this: