Sangam ao vivo no Porto

:: 14 de Julho de 2006

Nas habituais Noites do Palácio, passaram este ano nomes como Camané, Márcio Faraco, Manecas Costa, Amparanoia e o projecto Sangam constituido por Charles Lloyd, Zakir Hussain e Eric Harland.

É sobre o concerto deste novo projecto de Charles Lloyd, do qual já se encontra editado o primeiro trabalho discográfico, que vos quero falar. Antes porém, devo acrescentar, que estava prevista a participação dos Fanfare Ciocarlia que falhou devido à greve no aeroporto de Barcelona.

Eram 22H30 do passado dia 14 de Julho, quando no palco soaram os primeiros acordes de piano pela mão do mestre Charles Lloyd. Foram 90 minutos inesquecíveis de jazz de fusão, praticado de uma foram irrepreensível, por este trio magnífico de multi-instrumentistas, liderado por Lloyd que ia trocando o piano pelos seus habituais instrumentos de sopro, bem secundado por Eric Harland (bateria, piano e voz), um dos melhores bateristas de jazz da actualidade que, segundo o N.Y. Times ,”marca o ritmo do futuro do jazz”, e pelo indiano Zakir Hussain, considerado o melhor percussionista de tablas do mundo, que também canta.

Os Sangam assinaram naquela quente noite de verão um concerto memorável deixando os presentes em estado hipnótico. Como se três extraterrestres tivessem pousado naquele palco e com os seus instrumento musicais fizeram o milagre de “pintar” uma grade tela com pinceladas “jazzísticas” e outras de sons e tons de paragens mais exóticas, transportando os presentes para outra galáxia. Um sonho numa noite de Verão. Charles deixava por vezes os sopros, (sax e flauta), para voltar ao piano que compartilhou com Eric, num dos temas. Ainda teve tempo de “brincar” um pouco na bateria. As tablas de Zakir é que não tiveram descanso, ora acompanhando os outros instrumentistas , ora em solos magníficos, arrebatadores. Arrebatador, foi também o solo de bateria de Eric Harland, a fazer jus, se isso fosse preciso, ao que sobre ele a critica tem escrito.

Sangam, que significa união ou confluência, foi um nome bem escolhido para este projecto, vários anos adiado, porque assistimos de facto a uma perfeita união e confluência do jazz com a música tradicional indiana. A reunião do trio perfeito e a adesão sem reservas de um público ávido de mais e mais, dando origem a dois saborosos “encores”.

Nesta área musical de fusão do jazz com outras músicas , desde um célebre concerto do pianista Omar Sosa Sepetet, que não assistia a nada tão sublime. Excelente!

90 minutos memoráveis, naquela bela e quente noite de Verão, com perfume de flores dos jardins circundantes, onde três músicos de excepção nos transportaram constantemente ao sonho.

As Noites do Palácio, decorreram no Porto, nos Jardins do Palácio de Cristal, entre 30 de Junho a 30 de Julho e, dada a política actual dos responsáveis da maioria dominante na Câmara Municipal da Invicta, pouco ou nada interessada na cultura, poderá ter sido a última edição, como tem acontecido com a falta de apoio a outros eventos entre eles o Festival Intercéltico da cidade.

Carlos Feixa

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 14, Julho, 2006.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: