Paredes de Coura ’06, I

:: 14 de Agosto de 2006

Foi um dia de calor que acolheu os festivaleiros que chegaram a Paredes de Coura em busca de boa música. À noite, os alemães Warren Suicide foram cabeças de cartaz competentes e pouco mais do que isso.

O primeiro dia do Festival Heineken Paredes de Coura 2006 estava reservado sobretudo ao acolhimento dos milhares que se deslocaram até à Praia do Tabuão, local do evento. A música esteve, por um dia, relegada para segundo plano. O dia era para montar tendas e mergulhar no rio para fugir ao calor. A meio da tarde, ainda não havia tendas em cima umas das outras: só as sombras estavam todas ocupadas. O espaço reservado ao campismo ia compondo-se. Havia muita gente na praia e havia muita gente na relva, junto ao Palco Ruby. Era para este espaço que estava reservada a primeira actividade do dia, um workshop de jazz com Zé Eduardo. Era aberto ao público mas o microfone cedo foi tomado por um senhor obcecado com “Satisfaction”, dos Rolling Stones. A verdade é que teve direito a ovação de pé, mesmo depois de gritar equivocados “Vilar de Mouros!” uma meia dúzia de vezes. Estava-se bem em Paredes de Coura.

A festa de recepção estava marcada para as 22 horas no Palco After Hours e começou pouco depois com os Corsage. Esta banda portuguesa apoiou-se num rock ’n’ roll simples, pouco barulhento e pouco interessante. A voz grave de Henrique Amoroso dava à música ares de Nick Cave (doente) mas não disfarçava a mediocridade dos temas. O vocalista lá dançava enquanto o resto dos membros permaneciam imóveis nos respectivos e imaginários “xis” marcados no chão. E a falta de animação em palco espelhava-se no público: as pessoas que se encontravam mais perto do palco estavam sentadas no chão. Não é um cenário muito comum. E porque o cinismo às vezes toma mesmo conta… porque é que se continua a cantar em inglês quando não se consegue pronunciar bem as palavras?

Seguiram-se os Bandex e todo o groove associado à sua música. O contrabaixo de Miguel Gelpi enchia o palco e os samples disparados constantemente pelo seu irmão Nuno enriqueciam os temas em que eram utilizados. Especificamente, os samples de voz utilizados em temas como “Bófia” pareciam dar à música deste colectivo nacional uma identidade muito forte. Mas Nuno Gelpi não foi só sampler, foi também guitarrista em “O Explicador”, por exemplo. E a música não perdeu com isso. A versatilidade em palco demonstrou aquilo que já muitos sabiam à partida: os Bandex são um dos projectos mais interessantes e originais da cena alternativa nacional. O público também percebeu isso e aceitou a música de braços abertos.

Os cabeças de cartaz da primeira noite do festival eram os Warren Suicide. O soundcheck prolongado (feito com os próprios em palco, que nem toda as bandas em início de carreira conseguem arranjar roadies) foi, de certa forma, perturbante: porque parecia que iam começar a tocar e não tocavam, porque já havia alguma impaciência e porque eles, para todos os efeitos, estavam todos em palco. Quando o concerto propriamente dito começou, ergueram-se algumas sobrancelhas: ecrã de fundo com desenho animado feminino de pernas abertas e batida techno com guitarra suja e barulhenta por cima. Sim, são alemães. E sim, o som deles remete um pouco para o dos Prodigy. “Warren Sucide” foi o tema de abertura e deu o mote para o resto da actuação: poder quase industrial, muito suor de Nackt, guitarrista e vocalista da banda, bastante charme espalhado por Cherie, vocalista e encarregada da máquina visual, e frases de combate que arrasariam qualquer um (com destaque para “listen to national radio stations”…). Não faltaram os bajuladores “Portugal, Portugal” e uma história caricata relativa à perda de bagagem (com roupas e instrumentos) por ocasião da viagem. Os Warren Suicide proporcionaram um bom bocado ao público que enchia o espaço do Palco After Hours mas não foram nada do outro mundo. Seguiram-se DJ Miguel Quintão e, mais tarde, os Optimo Espacio. Estava muita gente, estava muito frio. O “outro mundo” chegaria a Paredes de Coura no dia seguinte.

Texto: Filipe Marques
Fotos: Filipe Marques

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 14, Agosto, 2006.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: