The Dust Dive – Claws Of Light

thedustdive-clawsoflightGeograficamente, seria muito pouco provável que fosse a luxemburguesa Own Records a editar o segundo disco dos Dust Dive, um trio natural de Brooklyn, nos E.U.A. Mas assim aconteceu e Claws Of Light vem dar continuidade à viagem paulatina até ao coração da nação americana. Ao longo de doze faixas, Laura Ortman, Ken Switzer e Bryan Zimmerman perdem-se pelo legado musical e cultural norte-americano, fazendo oscilar as guitarras ressonantes de um rock paisagístico junto dos instrumentos mais tradicionais como o órgão acústico, piano e violinos. Chegam-se mesmo a ouvir assobios, um “serrote musical”, samples alienígenas e radiofónicos, e até um galo. É uma amálgama sonora diversificada, mas virada para um mesmo sentido: a identidade americana.

Para além da produção, Jason Lowenstein contribuiu também com o trabalho de bateria no disco. E não poderia ser mais evidente essa sua prestação que na entrada do disco com “Babyface In A Pickup Truck”. A narrativa, por seu lado, é conduzida por Zimmerman num estilo próximo do spoken-word, que explora um imaginário norte-americano pastoral e agrícola, acrescentando-lhe com uma visão demarcadamente suburbana.

Sendo Laura Ortman compositora de bandas-sonoras, não é de admirar que Claws Of Light contenha em si uma imensa carga cinematográfica. Temas como “Screen Light Flu”, “Rope Swing 2000” ou “Green River” são como planos longos, abertos, que se movem ao longo de uma linha de horizonte longínqua. “Claws Of Light” traz-nos à memória o rock indie, contido e invernal dos Logh. “Starlet/Miss Brooklyn” comporta uma carga melancólica genuína, enternecedora mesmo. Juntamente com a embaladora “Postcards Of Real Worlds”, estes dois temas destacam-se dos restantes devido à utilização mais equilibrada do órgão acústico.

O grande defeito de Claws Of Light está na sua inamovível cadência contemplativa. O álbum torna-se numa vasta planície amarela, tostada pelo sol, que parece nunca mais terminar. Claro que se a disposição anímica do ouvinte estiver preparada para uma viagem desta natureza, então a linearidade das músicas não causará qualquer incómodo. Aliás, se a simples referência a Uma História Simples, filme do infame David Lynch, vos provocar uma calorosa nostalgia, Claws Of Light poderá muito bem ser um dos mais agradáveis álbuns deste ano.

7/10 | Gonçalo Sítima

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 16, Outubro, 2007.

 
%d bloggers like this: