The Allstar Project – Your Reward… A Bullet

theallstarproject-yourrewardabulletHistoricamente, podemos considerar que durante a última década um conjunto de bandas anglo-saxónicas contribuiu para a solidificação de um género largamente apelidado de pós-rock. Embora a catalogação possa ferir a sensibilidade de alguns dos grupos que se vêm envolvidos nesta amálgama de influências musicais (não é raro encontrar elementos de música clássica, de jazz, metal, electrónica, entre outros), é irrefutável que existe uma estrutura bem definida – embora flexível – que legitima a utilização deste termo.

Os portugueses The Allstar Project são, claramente, uma banda de pós-rock. O seu curto percurso discográfico demonstra que, apesar de circundar este género, a banda conseguiu refinar a sua capacidade de composição, a sua solidez musical repartida pelas três guitarras interligadas e os crescendos rítmicos intensos. A premissa de Your Reward… A Bullet – que é a da banda – fica claramente marcada no sample de voz que inicia “Riding The Bullet”: “where would rock n’ roll be without feedback?”. O disco abre num ritmo veemente, com as guitarras ao alto e uma atitude desobstruída e confrontadora. “Polaris” faz recuar ligeiramente a utilização das distorções electrizadas e dá espaço às melodias mais melancólicas que ressoam ao lado dos pratos cintilantes. Seguindo uma fórmula típica do pós-rock, onde a melodia vai sofrendo uma mutação evolutiva com o acrescento distorcido de diferentes texturas, “Polaris” atinge um clímax tangível em apenas três minutos.

O primeiro disco de longa duração dos The Allstar Project acaba por ser bastante convencional. Temas como “Yehudi Lights” e “For A Friend” ultrapassam a marca dos nove minutos e meio entre disparos rasgados de guitarras e acalmias onde figuram samples de vozes narrativas. Por seu lado, “V5” faz sobrepor a densa camada de guitarras, baixo e bateria com piano e linhas electrónicas etéreas. São estes os momentos em que a comparação com a época de Come On Die Young (1999) dos escoceses Mogwai e com bandas mais marginais do pós-rock como Laura ou The Evpatoria Report se torna particularmente evidente. Contudo, os The Allstar Project conseguem provocar uma impressão única e original através da “portugalidade” que transportam para “Frienemies”. Para além de feedback e delays, o pós-rock vive igualmente de sentimentos melancólicos, nostálgicos e embalantes, o que o torna perfeitamente compatível com a saudosa alma musical do fado. Com uma melodia simples de guitarra, os The Allstar Project evocam este espírito bem português e transformam “Frienemies” num tema-chave de Your Reward… A Bullet, impossível de encontrar em qualquer outra banda, em qualquer outro país. Esta, é nossa.

O objectivo musical dos The Allstar Project é claro e não envergonha ninguém: fazer pós-rock. Para além de entregarem um disco capaz de figurar ao lado dos nomes que edificaram a estrutura deste género, os The Allstar Project conseguem ainda atiçar o ouvinte com pormenores progressivos e singulares que lhes conferem uma personalidade sólida e convicta. Your Reward… A Bullet não dá passos em falso e quando arrisca, é bem sucedido. Your Reward… A Bullet é um óptimo disco.

8/10 | Gonçalo Sítima

Anúncios

~ por hiddentrack.net em 25, Outubro, 2007.

 
%d bloggers like this: